Igreja Matriz de Santo Antônio

Uma das mais antigas instituições paroquiais de Minas. A primeira menção à igreja, uma certidão de casamento, data de 1717. Provavelmente foi concluída em 1779. Sua fachada traz a data de 1779, denotando claramente a reforma introduzida por Aleijadinho no estilo dos frontispícios de Minas Gerais. Possui pinturas no estilo D. João V, de caráter ilusionista e pinturas do Mestre Athaíde.
O interior da nave, o arco-cruzeiro e a capela-mor formam um conjunto de talhas dos mais belos de Minas. Os altares refletem a fase mais vigorosa do Barroco e são recobertos de ouro. Localizada no centro da cidade. Destaque para as pinturas do Mestre Ataíde. Tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional.

 Pintura no Teto da Igreja Matriz de Santo Antônio
No altar-mor, o padroeiro da cidade empunha na mão direita a cruz de Cristo e no braço esquerdo a imagem do menino Jesus, mostrando fases da vida de Cristo: Encarnação e Paixão.

 Altar da Igreja Matriz de Santo Antônio

 Oratório Lateral

Nas paredes laterais, dois belíssimos entábulos pintados em tela: o banquete das bodas de Caná e da Santa Ceia. Entre as preciosidades contidas na Matriz de Santo Antônio, encontramos: Dois móveis tipo arca ( “Credência” ), do século XVII.

 Credência

A imagem, em madeira, de Santo Antônio, do século XVIII.

 Imagem de Santo Antônio

Um candelabro, do século XVIII.

 Candelabro